A cultura data driven: Como aplicar na gestão imobiliária 

Numa realidade comandada por palavras como reinvindicação, desejo, experiência e individualidade, é comum que empresas se questionem: estaria o mundo em sua era mais subjetiva? E, sim, isso é verdade até certo ponto. Todavia, enquanto a sociedade está, de fato, mais humanizada e singular, a cultura data driven, ou cultura de dados, tem mostrado um poder nunca explorado por empresas que desejam amadurecer. 

Então, ao mesmo tempo que as pessoas pedem pela humanização de processos, a cultura data driven aparece como uma metodologia moderna e eficiente para entregar aquilo que tanto se deseja: experiência para o cliente

Hoje vamos conhecer melhor essa cultura e aprender a implementá-la na sua gestão imobiliária.  

Sumário

Imagem do guia da qualificação de leads

O que é data driven? 

em primeiro plano uma tela com um dashboard e gráficos em transparência. Atrás as mãos de uma pessoa segurando um  tablet.

Para entender a cultura data driven, conhecer seu significado é importante: então, em tradução literal, cultura de dados, ou cultura orientada a dados. Agora está fácil entender o que ela preza, não é mesmo? 

O data driven culture utiliza a análise de dados para embasar toda a previsão, planejamento e execução de ações dentro de uma empresa. Ou seja, a partir do momento em que se começa a tomar decisões com dados, o achismo perde seu espaço num negócio. 

É importante frisar que o conceito de data driven vai além de uma simples coleta massiva de dados, afinal, para que sirvam, é necessário realizar uma curadoria desses dados. Como aponta a Revista Exame, “é preciso que sejam capazes de transformá-los [os dados coletados] em informação e conhecimento, cruzando-os com outras fontes”. 

Principais benefícios da cultura data driven 

O uso de dados, sobretudo numa era tão subjetiva quanto a que estamos vivendo, pode fazer toda a diferença na sua empresa. Isso porque a cultura orientada por dados traz mais assertividade a estratégias e, por incrível que pareça, ajuda a humanizar sua gestão. 

E os próprios dados confirmam sua importância: Até 2024, 75% das organizações terão estabelecido uma central de dados e análises (Gartner Research). Modernizar, então, não é uma opção, mas uma fonte de sobrevivência para empresas de quaisquer setores.  

Os principais benefícios da cultura data driven são: 

  • centralização de dados e informações; 
  • decisões baseadas em resultados estatísticos; 
  • menor chance de falhas operacionais e estratégicas; 
  • possibilidade de personalização de ações; 
  • aumento na assertividade de ações e a satisfação do cliente

Perceba que, muito embora os benefícios da cultura de dados se apresentem na forma de objetividade numérica, eles também aparecem no sentido humano. Dados estruturados te permitem entender a demanda do seu cliente e oferecer a melhor solução. 

Pilares da cultura data driven 

gráfico de barras em 3D com 5 barras em ordem crescente com os títulos: pessoas, processos, ferramentas, tecnologia e dados, respectivamente.

Para trazer benefícios tão impactantes a uma empresa, é de se esperar que o data driven culture tenha pilares muito bem estabelecidos. Vamos compreender alguns deles? 

  • Pessoas 
  • Processos 
  • Ferramentas 
  • Tecnologia 
  • Dados  

Pessoas 

Como falei anteriormente, não é porque o conceito data driven é focado em dados que deixa de ser humanizado: muito pelo contrário. O data driven, na verdade, nasce a partir da necessidade de se entender melhor a expectativa e a experiência das pessoas com sua empresa, por isso, elas são peças fundamentais para a aplicação da metodologia. 

Em outras palavras, sem pessoas, seus dados são apenas dados. Com pessoas, são ferramentas.  

Processos 

Implementar a cultura data driven requer uma série de processos e esforços conjuntos. Reiterando o que já foi dito no texto, data driven não é coleta de dados, mas a interpretação estruturada e posterior aplicação desses dados.  

Basicamente, sem que haja processos que estimulem a leitura e decodificação desses dados, não existe data driven.  

Ferramentas 

As ferramentas, logicamente, são aquelas que colocam em prática a coleta de material necessária para implementar uma cultura data driven. Elas podem se manifestar de diferentes formas, seja através dos softwares de BI, CRMs, inteligências artificiais ou outras que veremos em breve.  

Tecnologia 

A tecnologia é, basicamente, o “lugar” onde a cultura data driven pode acontecer. Isso porque ela permite uma série de aplicações para simplificar a coleta e armazenamento de dados, através da nuvem. Mas, além disso, a tecnologia também trabalha decodificando esses dados, como é o caso da Inteligência Artificial e da IoT. 

Dados 

Por fim, a base da cultura de dados: os próprios dados. Sem eles, não há o que se coletar, interpretar e aplicar na rotina da empresa. Portanto, os dados são o ativo que faz a metodologia funcionar e tomar forma.  

Como implantar uma cultura data driven na sua gestão? 

cultura data driven: imagem de uma pessoa escrevendo num caderno e, atrás, um dashboard com vários gráficos.

Vamos às vias de fato. A pergunta que não quer calar é: como implantar uma cultura baseada em dados na gestão da minha incorporadora? Isso é fácil? Tem mais vantagens ou desvantagens? 

Imagem do lançamento imobiliário na prática

Bem, aqui, a resposta varia. Se você estiver aberto a se enveredar pelo novo caminho da cultura data driven, eu posso te garantir que os resultados são os melhores possíveis. Mas, para isso, claro, você terá de fazer escolhas inteligentes e conscientes.  

Escolha o nível de modernidade que deseja ter 

A primeira escolha que deve ser feita ao se ponderar se a cultura data driven é ideal para você, é a seguinte: que nível de modernidade minha incorporadora busca? 

Existem, essencialmente, quatro níveis de modernidade, ou maturidade digital, para incorporadoras, construtoras e loteadoras:  

  • o nível 0, ou preliminar, é aquele que se caracteriza pela ausência da tecnologia; 
  • o nível 1, ou inicial, é quando se começa a dar os primeiros passos rumo à digitalização; 
  • o nível 2, intermediário, é aquele no qual se tem um bom avanço em termos de digitalização; 
  • o nível 3, por fim, é o de completa maturidade digital.  

Para compreender o seu nível de maturidade digital, você pode receber um diagnóstico profissional e completo sobre o assunto.  

Escolha suas plataformas de gestão 

Se você optou pelos níveis 2 ou 3, sua incorporadora tem força de vontade para implementar uma cultura data driven. Então, agora, é preciso escolher as plataformas de gestão que a auxiliarão nesse processo.  

As possibilidades de plataforma são muitas, mas geralmente faz-se o uso de duas principais: CRM e ERP. Com isso, integrados, CRM e ERP podem ampliar a base de dados de uma incorporadora e oferecer uma gestão 360 da organização.  

Escolha suas tecnologias auxiliares 

O que não falta ao mercado é opção viável de tecnologia auxiliar. Sobre todas elas, você pode aprender muito mais nos seguintes artigos: 

O uso do Big Data na venda de imóveis: saiba mais sobre a prática 

Coleta de dados para Marketing Imobiliário: saiba como fazer

Inteligência Artificial em reformas: tecnologia e agilidade 

Tecnologia a favor da fidelização de clientes: conheça 5 estratégias 

Assistente Virtual para atendimento ao cliente no mercado imobiliário 

Impressão 3D e seus impactos no mercado imobiliário 

As tecnologias auxiliares possibilitam uma amplitude de atividades através de dados e informações. A Inteligência Artificial, por exemplo, pode trabalhar coletando e decodificando dados para se comunicar com o cliente da melhor forma possível.  

Por meio dela, é possível diminuir e até substituir o atendimento humano em casos brandos. Que fique claro, isso não significa uma substituição total da mão de obra humana, mas uma seleção prévia que fará com que apenas casos mais sérios passem pelo crivo do atendente humano. 

Escolha como mensurar seus resultados regularmente 

Não há para onde correr: os resultados obtidos com a implementação de uma cultura data driven devem ser coletados e entendidos. Ou seja, o que cabe a você escolher é como isso será feito. Os softwares de BI, ou Business Intelligence, são ótimas pedidas para armazenar e manter dados. 

Cultura data driven: o futuro dos dados 

O futuro dos dados é agora. Em outras palavras, se soubermos aproveitá-los da forma correta, temos a possibilidade de estruturar nossa gestão comercial imobiliária com muito mais coesão e amplitude de acertos. Não nos faltam as armas, só nos resta entrar em ação.  

Dê os primeiros passos na cultura data driven da sua incorporadora, construtora ou loteadora. Use e abuse dos dados, faça deles seus melhores amigos e perceba a mudança radical pela qual sua gestão passará.  

Para saber como a tecnologia pode impactar processos, veja o depoimento de um dos mais de 600 clientes CV CRM sobre o assunto: 

FAQ: perguntas frequentes sobre o tema

O que é data driven? 

O data driven é a cultura que utiliza a análise de dados para embasar toda a previsão, planejamento e execução de ações dentro de uma empresa. 

O que fazer para ser data driven? 

Para implementar a cultura data driven, deve-se priorizar os cinco pilares principais da metodologia: pessoas, processos, ferramentas, tecnologia e dados. 

Por que ser data driven?

Essa pergunta possui infinitas respostas. Mas a palavra que melhor resume o motivo pelo qual se tornar data driven é “necessidade”. É necessário usar os dados, é o que a sociedade, o mercado e o setor imobiliário pedem.  

Como criar uma cultura data driven? 

Aposte nas ferramentas de gestão comercial e de recursos, preferencialmente integradas uma à outra. Faça uso, também, das tecnologias associadas como forma de coletar, armazenar e futuramente utilizar os dados. Defina uma meta para o nível de maturidade digital que deseja chegar, e trace pontos para atingir essa meta.  

Você já conhece o CV CRM?     

Este conteúdo gratuito é oferecido para você pelo CV CRM, o único CRM 5.0 do mercado imobiliário da venda ao pós-venda. Com uma década de experiência, mais de 600 incorporadoras clientes e 100 mil corretores de imóveis associados, o CV é líder de mercado e te entrega um panorama total da sua gestão comercial na tela do computador.      

Da prospecção de leads à prestação de assistência técnica, você garante otimização e agilidade em todos os seus processos internos, da pré à pós-venda. Acesse o site do CV e saiba mais!       

Para conhecer mais sobre mercado imobiliário, corretagem de imóveis e outros assuntos atuais, então acompanhe o Blog do CV e nos siga no Instagram.     

Você também vai gostar de:

Olá, cliente!

Gostou do CV e quer descobrir mais sobre nossas possibilidades? Entre em contato com a gente via Chat ou WhatsApp e saiba como podemos te ajudar!

WhatsApp

Entre em contato pelo WhatsApp CV!

Chat Online

Entre em contato pelo Chat Online CV!

Voltar

Solicite Demonstração