6 dicas para promover qualidade de vida no trabalho

O trabalho é uma parte muito importante da vida de todos. Muitas pessoas passam mais tempo no trabalho do que em casa, com a família ou desfrutando de um hobby. É por isso que encontrar um equilíbrio entre a vida pessoal e profissional no mercado imobiliário tem sido cada vez mais importante. Ou seja, é fundamental saber o que é qualidade de vida no trabalho, bem como melhorar o seu nível de satisfação. 

Especialistas afirmam que o termo qualidade de vida no trabalho foi utilizado pela primeira vez nos Estados Unidos, na década de 1970, quando empresas norte-americanas buscavam superar seus concorrentes (principalmente empresas japonesas) aumentando a motivação de seus funcionários. No entanto, sempre foi de a natureza humana valorizar o próprio bem-estar durante a realização de tarefas diárias. 

Assim, a qualidade de vida no trabalho pode ser definida como o nível de satisfação em relação às atividades desempenhadas e ao ambiente corporativo. Um ambiente organizacional de qualidade promove uma sensação de segurança e desenvolvimento pessoal e profissional entre os colaboradores. 

A lista abaixo contém seis dicas para gestores promoverem qualidade de vida no trabalho. Vamos conhecê-las! 

Enciclopédia do Marketing Imobiliário
  1. Explicar os conceitos e benefícios da qualidade de vida no trabalho 
  2. Adotar horários flexíveis 
  3. Investir em programas de bem estar 
  4. Oferecer benefícios completos 
  5. Reconhecer seus funcionários 
  6. Mostrar o quão estratégico é o RH 

Explicar os conceitos e benefícios da qualidade de vida no trabalho 

homem de terno sentado numa mesa com muitos papeis

As vantagens para as empresas que adotam o conceito, bem como a cultura de qualidade de vida no trabalho, são inúmeras. Produtividade, atenção e motivação aumentam, o ambiente organizacional melhora, há diminuição de gastos com tratamentos de saúde, queda na rotatividade, retenção de talentos e aumento de lucros, entre outros. 

E os profissionais também têm muitos benefícios: reconhecimento pelo seu trabalho, ambiente de trabalho saudável e inspirador, o tempo livre é gasto com qualidade, alimentação melhorada, maior foco nas atividades físicas, mais criatividade, acesso a benefícios que melhoram o bem-estar, etc.  

A empresa pode começar com o maior número possível de profissionais sendo estimulados a mudar pequenas coisas, como subir as escadas ao invés do elevador, ou andar de bicicleta ao invés de pegar o carro, beber mais água e fazer refeições balanceadas a cada 3 horas. 

Adotar horários flexíveis 

A implementação do horário de trabalho flexível permite que os funcionários, sempre que possível, se afastem do trânsito pesado, cuidem de problemas pessoais no horário comercial, levem ou peguem os filhos na escola, trabalhem quando for mais produtivo, façam aula, ou seja, coisas que melhoram o desempenho. 

A flexibilidade também promove um aumento do compromisso e da responsabilidade. Além disso, reduz o número de faltas e a quantidade de horas extras, pois o tempo é gerenciado de melhor forma. 

O home office é outra opção. Várias empresas já permitem que seus funcionários trabalhem em casa, ou em um local de sua escolha, uma vez ou alguns dias por semana. Isso permite que o profissional trabalhe mais concentrado, sem interrupções dos colegas e do barulho do escritório. 

Menos tempo gasto no trajeto significa mais horas passadas com a família, mais tempo para hobbies e exercícios, mais momentos com amigos, mais horas de sono, e isso deixa um funcionário mais feliz. 

Investir em programas de bem-estar 

mulher correndo numa esteira

A empresa pode oferecer aos colaboradores parcerias com locais especializados ou disponibilizar na empresa atividades como massagens, aulas de ioga e relaxamento, exercícios ergonômicos, manicure e academia. Também é comum a formação de grupos corporativos para corrida e/ou ciclismo. 

É interessante promover campanhas de conscientização sobre alimentação saudável, controle do tabagismo, câncer (novembro azul, outubro rosa), sedentarismo, estresse, entre outros.  

Não existe um modelo único para um programa de bem-estar que funcione para todas as empresas. O programa a ser implantado precisa se adequar ao perfil dos colaboradores, sua cultura e localização. Quaisquer que sejam as ações contempladas no programa, o importante é estimular as pessoas a adotarem hábitos saudáveis ​​que tragam prazer e felicidade à vida. 

 Oferecer benefícios completos 

Hoje, além de parcerias com academias e clínicas, é possível oferecer benefícios mais inclusivos que atendem às necessidades dos colaboradores que viajam (acesso a academias em diversas cidades, no Brasil e no exterior) ou que desejam se exercitar tanto perto de casa quanto do escritório. Além disso, não apenas o treinamento com pesos está disponível. Muitas academias oferecem diversas atividades esportivas, permitindo que os usuários façam o que quiserem, onde quiserem. 

Os resultados comprovam que as empresas que oferecem benefícios integrais reduzem os índices de inatividade física, colesterol, IMC, risco cardiovascular e obesidade, o que consequentemente diminui os gastos da empresa com plano de saúde e absenteísmo. 

Com o advento da pandemia, muitas empresas passaram a oferecer auxílios para terapias ocupacionais e também consultas com psicólogos.

Reconhecer seus funcionários 

Mulher numa mesa com outras pessoas com notebooks ao redor

Imagem do lançamento imobiliário na prática

Investir em cursos e treinamentos mostra a preocupação da empresa com o desenvolvimento de seus colaboradores. Quando eles são mais experientes, concluem as tarefas com mais eficiência. Prêmios e bônus também são excelentes maneiras de reconhecer os esforços dos funcionários. 

Quando os funcionários estão mais preparados, eles fornecem resultados superiores à concorrência. Além disso, o aumento da motivação e satisfação dos funcionários reflete no aumento da satisfação do cliente. 

Ações que evidenciam o investimento nos colaboradores diminuem a rotatividade, atraem e retêm talentos, além de aumentar a percepção do colaborador sobre o alto valor agregado dos benefícios proporcionados pela empresa. 

Mostrar o quão estratégico é o RH 

Antes de implementar ações de qualidade de vida no trabalho, desenvolva um plano para comprovar que a área de Recursos Humanos é mais do que uma área coadjuvante, é extremamente estratégica para o negócio. Mostre como este projeto atende aos objetivos da empresa e contribui para o alcance de resultados extraordinários. 

Defina as métricas a serem coletadas e analisadas e, antes que o programa de qualidade de vida seja implantado, defina um marco zero. Por exemplo, tenha os resultados de uma pesquisa e exames iniciais contendo dados como falta de atividade física, risco cardiovascular, IMC, índice de colesterol, resultados de medidas de pressão arterial, peso, entre outros, de todos os colaboradores que participarão das ações. Após um certo tempo de implementação do programa, repita a pesquisa e os exames médicos para comparar os resultados com os números iniciais. 

Além disso, coletar dados de antes e depois da implementação de ações de bem-estar, como absenteísmo, rotatividade, licenças por problemas de saúde. Todos os resultados precisam ser apresentados, não apenas para posicionar a área como estratégica, mas para manter os programas de qualidade de vida no trabalho no longo prazo. 

Conclusão 

Equipe feliz empilhando as mãos em um gráfico de ideias criativas

Em 2017, o banco de empregos, Glassdoor, revelou suas descobertas sobre os principais fatores da felicidade no local de trabalho. Surpreendentemente, para a maioria dos candidatos a emprego, a principal preocupação não foi o salário líquido. Outros aspectos do trabalho apareceram com mais peso na pesquisa. Entre 615.000 avaliações de funcionários, esse foi o consenso geral. 

Na experiência dos psicólogos organizacionais-industriais, o sucesso da empresa depende da realização da equipe. Em comparação com funcionários entediados e frustrados, as pessoas que amam seus empregos são mais engenhosas, criativas, produtivas e dedicadas. A longo prazo, a satisfação no trabalho diminui a rotatividade de pessoal.  

No artigo de hoje, analisamos seis dicas para gestores promoverem qualidade de vida no trabalho. Porém, é importante salientar quais são os principais critérios presentes na lista de desejos de um funcionário, para que ele se sinta feliz.  

Cinco são os fatores necessários para a felicidade no local de trabalho. Possuir um papel significativo na empresa, estar inserido numa boa atmosfera de equipe, ter equilíbrio entre vida profissional e pessoal, ser apreciado e ter oportunidades de crescimento. 

Apliquem essas dicas e tenham uma equipe feliz e motivada! 

Você já conhece o CV?  

Este conteúdo gratuito é oferecido para você pelo CV CRM – Construtor de Vendas, o único CRM 5.0 do mercado imobiliário da venda ao pós-venda. Contando com as soluções de prospecção, venda, relacionamento, gerenciamento e integração, o CV CRM te permite ter um panorama total da sua gestão comercial na tela do computador.   

Da prospecção de leads à prestação de assistência, você garante otimização e agilidade em todos os seus processos internos. Acesse o site do CV e saiba mais!    

Para conhecer mais sobre mercado imobiliário, gestão de vendas, corretagem de imóveis e outros assuntos atuais, acompanhe o blog e nos siga no Instagram 

Está achando que acabou? Não mesmo! Acompanhe outros posts aqui no Blog do CV! 

Você também vai gostar de:

Olá, cliente!

Gostou do CV e quer descobrir mais sobre nossas possibilidades? Entre em contato com a gente via Chat ou WhatsApp e saiba como podemos te ajudar!

WhatsApp

Entre em contato pelo WhatsApp CV!

Chat Online

Entre em contato pelo Chat Online CV!

Voltar

Solicite Demonstração


Fatal error: Uncaught TypeError: call_user_func_array(): Argument #1 ($callback) must be a valid callback, function "twentytwenty_skip_link_focus_fix" not found or invalid function name in /var/www/vhosts/cvcrm.com.br/httpdocs/wp-includes/class-wp-hook.php:324 Stack trace: #0 /var/www/vhosts/cvcrm.com.br/httpdocs/wp-includes/class-wp-hook.php(348): WP_Hook->apply_filters() #1 /var/www/vhosts/cvcrm.com.br/httpdocs/wp-includes/plugin.php(517): WP_Hook->do_action() #2 /var/www/vhosts/cvcrm.com.br/httpdocs/wp-includes/script-loader.php(2248): do_action() #3 /var/www/vhosts/cvcrm.com.br/httpdocs/wp-includes/class-wp-hook.php(324): wp_print_footer_scripts() #4 /var/www/vhosts/cvcrm.com.br/httpdocs/wp-includes/class-wp-hook.php(348): WP_Hook->apply_filters() #5 /var/www/vhosts/cvcrm.com.br/httpdocs/wp-includes/plugin.php(517): WP_Hook->do_action() #6 /var/www/vhosts/cvcrm.com.br/httpdocs/wp-includes/general-template.php(3066): do_action() #7 /var/www/vhosts/cvcrm.com.br/httpdocs/wp-content/themes/cv/_scripts-footer.php(39): wp_footer() #8 /var/www/vhosts/cvcrm.com.br/httpdocs/wp-content/themes/cv/single.php(245): include('...') #9 /var/www/vhosts/cvcrm.com.br/httpdocs/wp-includes/template-loader.php(106): include('...') #10 /var/www/vhosts/cvcrm.com.br/httpdocs/wp-blog-header.php(19): require_once('...') #11 /var/www/vhosts/cvcrm.com.br/httpdocs/index.php(17): require('...') #12 {main} thrown in /var/www/vhosts/cvcrm.com.br/httpdocs/wp-includes/class-wp-hook.php on line 324